Pernambuco faz história com últimas medalhas dos Jogos da Juventude

27/11/2017
Pernambuco faz história com últimas medalhas dos Jogos da Juventude

Pernambuco quebrou o recorde de medalhas dos Jogos Escolares da Juventude. Após o encerramento da etapa Infantil (atletas de 15 a 17 anos), em Brasília-DF, o Estado superou o número expressivo de conquistas do ano passado e fez história no certame. Com uma medalha de ouro e outra de prata, do futsal masculino do Centro Educacional Hermom (Olinda) e do futsal feminino da Escola Marechal Antônio Alves Filho/EMAAF (Petrolina), respectivamente, assegurados no último dia de disputas dos Jogos na capital federal, o número de medalhas totais dos pernambucanos chegou à marca de 33.

Esse resultado, conquistado com a soma das 18 medalhas da etapa Mirim (12 a 14 anos) em Curitiba-PR, e as 15 desta etapa Infantil, superaram a boa quantidade de medalhas de 2016 nos Jogos da Juventude, quando o Estado obteve 32 medalhas (14 do Mirim e 18 do Infantil). “Isso mostra o crescimento do esporte escolar no Estado. A cada ano, estamos aumentando os números de inscritos nos Jogos Escolares de Pernambuco – JEPs e, consequentemente, com uma procura maior, o estímulo à prática esportiva nas instituições de ensino fica em evidência. Estamos muito felizes com nossos representantes nos Jogos da Juventude. Todos os que participaram deram muito orgulho ao nosso Estado”, ressaltou o Secretário de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco, Felipe Carreras.

FIM DOS JOGOS COM OURO E PRATA

No encerramento das disputas da etapa Infantil de Brasília, neste último sábado (25), Pernambuco faturou duas medalhas nas modalidades coletivas, especificamente no futsal. O ouro veio com o Centro Educacional Hermom (Olinda) na primeira divisão masculina, enquanto a prata ficou para a Escola Marechal Antônio Alves Filho/EMAAF (Petrolina) na segunda divisão do futsal feminino.

O maior destaque foi para o Hermom. Invictos na competição da primeira divisão, os garotos de Olinda se impuseram na grande final, diante do Colégio Dehon – SC e aplicaram uma sonora goleada: 6 x 1. “Começamos o trabalho de construção deste time há três anos. Este ano foi bastante difícil, pois tínhamos a lembrança do vice-campeonato de 2016, além de marcar a despedida de muitos dos nossos atletas desta categoria. Tivemos jogos complicados, apesar dos placares, e a final não foi diferente. Graças a Deus conquistamos o título, inédito para nossa escola”, pontuou o treinador do time olindense, Felipe Gomes.

Já as meninas da EMAAF subiram ao pódio com a segunda colocação da primeira divisão. Elas só pararam na decisão do título, quando perderam para a Escola Professor Nelson de Sena – MG por 8 x 3. Outra instituição pernambucana que brigava por medalhas era o Colégio Boa Viagem/CBV (Recife) no voleibol masculino da segunda divisão, mas o time terminou em quarto lugar ao perder a decisão do bronze para o Colégio Amplo – SC por 2 sets a 0 (21 x 25/21 x 25).

Outras notícias